jusbrasil.com.br
10 de Dezembro de 2018
    Adicione tópicos

    Abril Verde chega aos canteiros de obra de Campo Grande

    Trabalhadores da construção civil vão receber orientações para prevenir acidentes de trabalho

    Ministério Público do Trabalho
    há 8 meses

    Campo Grande – A Justiça do Trabalho, o Ministério Público do Trabalho, o Ministério do Trabalho e os Centros de Referência em Saúde do Trabalhador – Cerest Estadual e Municipal – realizam, na próxima segunda-feira (16), ação de conscientização em obra de edifício na Rua Nova Era, no Jardim Bela Vista, em Campo Grande.

    No ano passado, 149 acidentes de trabalho e uma morte foram notificados no setor da construção civil em Mato Grosso do Sul. Em 2016, não houve mortes e foram registrados 180 acidentes, 17% a menos que no ano anterior. Os números são do Concat, sistema para consulta de dados da Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT). A redução é ainda maior se comparados os últimos cinco anos. No biênio 2016/2017, foram registrados 329 acidentes em canteiros de obras de Mato Grosso do Sul, enquanto em 2012/2013 foram 485 acidentes, 32% a menos que no período anterior.

    O juiz do Trabalho Márcio Alexandre da Silva afirma que essa queda está ligada à crise econômica. “Em 2012, nós estávamos no auge da economia, o setor da construção civil aquecido, consequentemente, havia mais trabalhadores nos canteiros de obras e mais acidentes. Em razão dessa grande quantidade de acidentes houve uma fiscalização mais intensa no setor e isso explica a redução para 2016/2017, além da crise econômica que desaqueceu o setor”, esclarece.

    A maior parte dos acidentes e das mortes no trabalho ocorre com homens entre 18 e 24 anos que exercem atividades de baixa remuneração. A construção civil é responsável pela maioria dos casos de acidentes de trabalho no país, mas os casos são subnotificados, o que preocupa as autoridades em segurança e saúde no trabalho. “A construção civil é um setor reconhecidamente de grande informalidade, de modo que pedreiros e serventes costumam trabalhar sem vínculo empregatício em razão da rotatividade da mão de obra”, conclui o juiz Márcio Alexandre.

    Segundo dados do Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho, entre 2012 e 2017, houve o registro de cerca de quatro milhões de acidentes, dos quais apenas 646 mil em média, por ano, envolveram trabalhadores formais. Como a subnotificação ainda é muito expressiva, os prejuízos podem ser maiores que os registrados. No mesmo período, a Previdência Social gastou mais de R$ 26 bilhões com benefícios acidentários.

    Durante a visita técnica na obra, o juiz Márcio Alexandre da Silva, o procurador-chefe do MPT, Leontino Ferreira de Lima Junior, o auditor-fiscal Kleber Pereira de Araújo e Silva, além de outros profissionais do Cerest, vão conversar com os trabalhadores e encarregados e orientar sobre formas de prevenção e a importância de notificar todos os acidentes de trabalho.

    Abril Verde – A ação faz parte do Movimento Abril Verde, campanha de âmbito nacional que pretende alertar a sociedade para a importância da prevenção de acidentes de trabalho e de doenças decorrentes da atuação profissional. O mês de abril foi escolhido em razão de duas datas importantes: Dia Mundial da Saúde (7) e Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho (28).

    O dia 28 de abril foi instituído por iniciativas de sindicatos canadenses e escolhido em razão de um acidente que matou 78 trabalhadores em uma mina no estado da Virgínia, nos Estados Unidos, em 1969. No Brasil, em maio de 2005, foi sancionada a Lei 11.121, criando o Dia Nacional em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho. Já está em tramitação na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul o Projeto de Lei 60/20, de autoria do deputado Junior Mochi, que institui no Estado de Mato Grosso do Sul o Mês “Abril Verde” e o Dia Estadual em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho.

    Já o Dia Mundial da Saúde foi criado em 1948. A data tem como objetivo conscientizar a população a respeito da qualidade de vida e dos diferentes fatores que afetam a saúde.

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)