jusbrasil.com.br
19 de Agosto de 2022
    Adicione tópicos

    Empresa vai pagar multa por excesso de jornada

    Distribuidora de bebidas assinou Termo de Confissão de Dívida com MPT após reconhecer descumprimento de acordo

    Ministério Público do Trabalho
    há 6 anos

    Maceió – A distribuidora de bebidas Cledisbel – Clemente Distribuidora de Bebidas – assinou Termo de Confissão de Dívida, junto ao Ministério Público do Trabalho (MPT), após reconhecer que descumpriu Termo de Compromisso, ao exigir a prorrogação de jornada diária de seus empregados em quantidade de horas superior a duas horas extras diárias. A empresa havia firmado Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o MPT para instalar ponto eletrônico e regularizar a jornada dos empregados, mas descumpriu o acordo.

    O TAC foi firmado após procedimento investigatório realizado pelo procurador do Trabalho Rafael Gazzaneo. Conforme o acordo, a distribuidora se comprometeu a cumprir normas constantes na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) que dizem respeito ao controle de jornada, através da instalação de ponto eletrônico, e pagamento das horas suplementares eventualmente laboradas por seus empregados. O ponto eletrônico foi instalado, no entanto, durante o acompanhamento do cumprimento do TAC, foi observado que alguns empregados estavam extrapolando o tempo máximo de trabalho permitido por lei.

    No acordo, o valor da multa pelo descumprimento da cláusula referente à prestação das horas extras em quantidade superior a duas horas é de R$ 500 para cada empregado encontrado em situação irregular. Como no acompanhamento do TAC foi verificado que 20 trabalhadores estavam em desconformidade com o Termo, o valor global totalizou em R$ 10 mil. A quantia será paga em 10 parcelas mensais de R$ 1 mil, até junho de 2017, e será revertida mensalmente ao Centro de Formação Social Rainha da Paz, localizado no Centro de União dos Palmares (CNPJ: 24.178.808/0001-21).

    Excesso de Jornada- Segundo Gazzaneo, “quando a jornada laboral é extrapolada sem planejamento, falta tempo para o descanso, lazer e outras necessidades inerentes à manutenção da saúde do trabalhador. Daí se origina grande parte dos acidentes de trabalho e outros danos, como as doenças ocupacionais”.

    A Constituição Federal (art. 7º, XIII) e a CLT (art. 58) preveem jornada de trabalho de oito horas diárias e quarenta e quatro semanais, as quais podem ser compensadas ou reduzidas mediante acordo ou convenção coletiva de trabalho. A CLT ainda estabelece o limite máximo de duas horas extras diárias e pagamento da hora suplementar, pelo menos, 50% superior à da hora normal.







    Informações relacionadas

    Nogueira Advocacia, Advogado
    Artigoshá 5 anos

    16 Dúvidas sobre Horas Extras

    Emenda à Inicial - TRT09 - Ação Adicional de Horas Extras - Atord - contra Lojas Salfer, Maquina de Vendas Brasil Participacoes e RN Comercio Varejista

    Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região
    Jurisprudênciahá 4 anos

    Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região TRT-1 - RECURSO ORDINÁRIO: RO XXXXX20175010063 RJ

    Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região
    Jurisprudênciahá 9 anos

    Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região TRT-11: XXXXX20120131100

    Jornada de Trabalho e o desrespeito a Constituição Federal

    2 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

    Na empresa que trabalho, trabalhamos em escala 12x12 pode isso? continuar lendo